.Olá, amiguito!

Bem-vindo a esta embarcação!!

Contamos contigo para partilhar e cruzar os mares desta bela aventura!!

Neste blog terás de mostrar o que vales para conquistares a Barca do Paraíso...  ou então, já sabes o que te espera...

Como já te apercebeste, estamos a falar da grandiosa obra de Gil Vicente, Auto da Barca do Inferno.

Vem visitar-nos brevemente, pois teremos algo para ti!!!

Sexta-feira, 6 de Abril de 2007

...

publicado por csi-cura às 21:25
link do post | comentar | favorito
Domingo, 4 de Março de 2007

Está a acabar...

     Pois é, era excelente que o nosso colégio ficasse entre as 10 melhores escolas! Se isso não acontecer, ao menos já aprendemos muito mais sobre a internet. Mas como a esperança é a última a morrer, quem sabe, ainda vêem as CSI na televisão.

    Como qualquer outra equipa, entre testes, trabalhos, aulas, intervalos inexistentes… lá conseguimos fazer um blog apresentável.

    Por detrás desta coisa colorida, com textos imagens e videos, a que chamamos de blog, está um enorme trabalho… Fizemos o nosso melhor! E a verdade é que não somos umas “prós” nisto!

    É claro que também tivemos o apoio de alguns professores, que, só por darem uma pequena opinião, nos ajudaram, e muito! Principalmente, Prof. ZULMIRA BRAGA, Prof. Elsa Ascenso, Prof. Bruno Agostinho, Prof. Filipa Santos… e até os nossos amigos, que nos apoiaram quando já estávamos cansadas… Muito obrigada a todos eles!

    Vamos ver se todo este esforço valeu a pena!

    Apesar da grande concorrência, estamos esperançosas que o nosso colégio ainda se vai tornar numa escola do futuro, através das CSI!

    Muito obrigada também ao Sapinho, por esta magnífica ideia!!!

sentimo-nos: Felizes e ansiosas!!!
publicado por csi-cura às 21:10
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 2 de Março de 2007

O que prefere?

   Com o desafio SAPO a chegar ao fim, somos sinceras, esta tarefa foi a mais dificil de realizar, porque nesta altura do concurso as nossas ideias já não são as melhores.

   Contudo, as CSI decidiram fazer um pequeno apelo, pois é neste jogo da vida que mostramos o que somos e o que valemos como pessoas.

   Nós, que embarcámos nesta aventura, que é a vida, não podemos desistir das coisas, temos de ter personalidade, saber dizer NÃO quando necessário, e ter força de vontade para nos afirmarmos perante as pessoas! 

   Por isso aproveita a vida, cria os teus objectivos, aceita as regras deste jogo, corre riscos e embarca nesta aventura, porque o que nesta vida tivermos de passar, certamente teremos a recompensa mais tarde! 

      

     Fontes:

http://pesquisa.sapo.pt/search/HP?enc=utf-8&barra=imagens&q=diabinho

http://pesquisa.sapo.pt/search/HP?enc=utf-8&barra=imagens&q=anjo

Acedido em 03/02/07

Manual de Língua Portuguesa do 9ºAno "Aula Viva", Porto Editora

sentimo-nos: umas estrelas!!!
tags:
publicado por csi-cura às 13:40
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2007

Reportagem: "Auto da Barca do Inferno"

     Gil Vicente, um grande dramaturgo português, escreveu, em 1517, o Auto da Barca do Inferno, com o objectivo de moralizar a população acerca dos vícios e defeitos dos vários sectores sociais e profissionais, mostrando que o nosso comportamento em Terra pode determinar o nosso futuro depois da morte.

     Nesta obra criticou:

*a nobreza (através do fidalgo), que se achava superior às outras camadas sociais e que, por isso, achava que devia ter privilégios;

*os onzeneiros (profissão da altura) que cobravam juros excessivos, roubavam indirectamente as pessoas, enriquecendo assim;

*alguns grupos profissionais (através do sapateiro), que, apesar do trabalho mal feito, cobravam bastante e, que viviam uma falsa dedicação à Igreja;

*os membros do clero (através do frade) que eram infiéis à Igreja;

*as alcoviteiras (através da alcoviteira), que desencaminhavam raparigas ao introduzi-las na prostituição;

*os judeus (através do judeu), que eram descriminados por toda a população, por praticarem uma religião marginal à Igreja Católica;

*os membros da justiça (através do corregedor e do procurador), que julgavam com malícia, favorecendo os que ofereciam a melhor prenda (eram subornados);

*os ladrões e pessoas que se suicidam (através do enforcado), que acham que por terem estado na prisão e por se terem suicidado, merecem a salvação.

     Também mostrou, com o Parvo e com os Quatro Cavaleiros, que existem pessoas boas, simples e que lutam pelo bem comum.

     Isto foi no século XVI… Agora estamos no século XXI…

     Vejamos! Será que estes vicios e defeitos não se mantém?!

    Continuam a existir pessoas que se acham superiores, que são corruptas, infiéis, subornadoras ou subornadas, maldosas… E, também, por muito poucas que sejam, ainda existem pessoas simples, boas, que lutam pelo bem comum.

     Aqui ficam alguns exemplos:

     De certeza que que já ouviu falar do caso muito falado, “Apito Dourado”. Aqui temos um bom exemplo de corrupção, suborno…

    Continua a haver prostituição; cada vez mais suicídios; a sociedade mais “rica” continua a achar-se superior; os membros da Igreja continuam a ser infiéis; continua a haver um “choque” entre religiões…

     A que conclusão chegamos? Gil Vicente escreveu este Auto para moralizar a sociedade, em 1517, mas podia tê-lo escrito agora, em 2007, que continuava a adaptar-se à sociedade.

   Fontes:

http://www.csarmento.uminho.pt/nev_2.asp

 

http://pwp.netcabo.pt/0511134301/vicente.htm

 

Acedido em 02/02/07

 

http://www.instituto-camoes.pt/cvc/cdrom/19/autobarcainf.html

Acedido em 23/02/07

Manual de Língua Portuguesa do 9ºAno "Aula Viva", Porto Editora

sentimo-nos: Cansadas!!!
publicado por csi-cura às 13:22
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2007

O nosso colégio

       Colégio do Sagrado Coração de Maria! Situado em Fátima, junto ao Santuário. É aqui que estudamos, aprendemos muito mais do que “matérias”… aprendemos a viver! É este colégio que queremos transformar numa escola do futuro!
tags:
publicado por csi-cura às 19:01
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

CSI

Cada uma, com uma característica própria, mas unidas para mostrar ao Sapinho aquilo que valemos! É verdade... Decidimos unir-nos, para tentar transformar o nosso colégio numa escola do futuro.
Para isso, formámos a equipa CSI:
*Lara, a líder;
*Joana Frazão, a mais organizada;
*Joana Sousa, a mais experiente;
*Ângela, a mais original;
*Catarina, a falar bem Português!
Assim, vamos tentar fazer o melhor!
sentimo-nos: Orgulhosas!
tags:
publicado por csi-cura às 18:37
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2007

Entrevista a Gil Vicente

    ** Visto que, sobre a vida de Gil Vicente, existem poucos dados, as CSI criaram uma pequena entrevista imaginária, passando para a representação de um Gil Vicente do século XXI. Decidimos assim, fazer umas breves questões a este grande escritor do século XVI, mas um pouco mais actual.

  1. Escrever no século XVI foi difícil?
  2. Porquê a "adopção" da farsa e da comédia nas suas obras?
  3. Gil Vicente, porquê o Auto da Barca do Inferno? O que pretendia com ele?
  4. Qual a origem deste auto?
  5. Através das suas obras, dá a ideia que o senhor não consegue viver com razão e emoção. Está sempre a ridicularizar todas estas situações. Pode comentar?

Obrigada!!

 

Fontes:

http://www.csarmento.uminho.pt/nev_2.asp

 

http://pwp.netcabo.pt/0511134301/vicente.htm

 

Acedido em 02/02/07

 

Manual de Língua Portuguesa do 9ºAno "Aula Viva", Porto Editor    

        

Finalmente!!!    

Já está pronta a entrevista!!! Podem ver!!!

    

     *Gil Vicente - Catarina

     *Jornalista - Ângela

     *CamaraWoman - Joana

     *Técnica de Imagem - Joana Sousa

     *Técnica de Som - Lara

sentimo-nos: Envergonhadas!
publicado por csi-cura às 20:40
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

Auto da Barca do Inferno

       O Auto da Barca do Inferno, uma moralidade, foi escrito por Gil Vicente, em 1517, a pedido de D. Leonor para o rei D. Manuel I. Este Auto não apresenta divisões em actos, mas é composto por 11 cenas. A peça não apresenta uma acção dramática clássica, mas sim um desfile de personagens (tipo), que aparecem num cais para serem julgados após a morte, sendo criticados por personagens alegóricas (Anjo e Diabo), embarcando, depois, na barca que lhes está destinada.

sentimo-nos:
publicado por csi-cura às 22:41
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 11 de Fevereiro de 2007

Obra de Gil Vicente

       Gil Vicente foi um dos principais animadores da Corte, escrevendo, encenado e representando vários autos. Gil Vicente é considerado um autor de transição entre a Idade Média e o Renascimento, pois a estrutura das suas peças e os temas que estas tratam são desenvolvimento do teatro medieval, contudo, alguns dos aspectos críticos apontam para uma concepção humanista. Em muitos dos seus autos defende concepções e valores medievais, mas outras vezes assume posições críticas muito próximas daquelas que eram defendidas pelos humanistas europeus. O Teatro Vicentino é essencialmente satírico: faz uma crítica social e provoca o riso. As peças de Gil Vicente não são qualificáveis num só grupo, mas sim em três: obras de devoção, farsas e comédias; ou então, para estudiosos mais recentes: autos cavaleirescos e pastoris, farsas e alegorias de temas profanos; encontrando-se na mesma peça elementos de vários desses tipos. Gil Vicente revela um génio dramático invulgar, capaz de procurar e encontrar soluções técnicas à medida das necessidades, sendo encarado como o verdadeiro criador do teatro nacional. A dimensão e a riqueza da sua obra são um retrato vivo da sociedade portuguesa, no início do século XVI, onde estão presentes todas as classes sociais, com os seus traços específicos, vícios e problemas. Também em valor linguístico a sua obra é inestimável, constituindo seguramente a melhor fonte de informação sobre os falares desta época. O Teatro Vicentino assume um carácter simbólico, fazendo com que as personagens não sejam identificadas por nomes, mas sim pelo grupo profissional ou classe social. Gil Vicente fez do teatro uma moralidade, retratando as suas obras a degradação dos costumes, a alcoviteirice, a infidelidade conjugal, a feitiçaria, a superstição,a usura, a imoralidade dos religiosos, a incompetência dos médicos… A obra-prima de Gil Vicente é formada pela “Trilogia das Barcas”: Auto da Barca do Inferno; Auto da Barca do Purgatório e Auto da Barca da Glória, tendo como tema o julgamento das almas após a morte, com a representação alegórica de duas barcas que conduzem os mortos ao Inferno ou ao Paraíso, conforme o seu comportamento na vida terrestre. A primeira obra de Gil Vicente foi Monólogo do Vaqueiro (Auto da Visitação), em 1502, escrita para celebrar o nascimento do príncipe D. João, futuro rei D. João III e, a última foi Floresta de Enganos, em 1536, ano da sua morte.

     Fontes:

http://pwp.netcabo.pt/0511134301/vicente.htm

http://www.csarmento.uminho.pt/nev_2.asp

Acedido em 02/02/07

sentimo-nos: Bastante interessadas!
música: Obra de Gil Vicente
publicado por csi-cura às 20:04
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Sábado, 10 de Fevereiro de 2007

Vida de Gil Vicente

       Pouco se sabe sobre a vida de Gil Vicente, um grande dramaturgo português, mas pensa-se que terá nascido em 1465, em Guimarães, e, que terá falecido em Lisboa, provavelmente em 1536. É certo que Gil Vicente desenvolveu uma notável actividade teatral e, que esteve ao serviço da Corte, organizando os festejos palacianos. Gil Vicente casou duas vezes e teve cinco filhos, dos quais de destacam Paula e Luís Vicente. Luís Vicente foi responsável pela edição da compilação das obras do pai, e Paula era uma mulher invulgarmente culta. Não se sabe ao certo quem foi Gil Vicente, visto que, dessa época, existem vários documentos sobre a existência de mais dois Gil Vicentes. Um deles era ourives da Corte, a quem foi atribuída a famosa "Custódia de Belém" (1506), uma obra-prima da Ourivesaria Portuguesa. O outro foi "Mestre da Balança" da Casa da Moeda. Apesar de alguns autores defenderem que o dramaturgo, o ourives e o "Mestre da Balança" eram a mesma pessoa, não o é possível provar de forma incontestável.

     Fontes:

http://pwp.netcabo.pt/0511134301/vicente.htm

http://www.csarmento.uminho.pt/nev_2.asp

Acedido em 02/02/2007

sentimo-nos: Curiosas!!Este concurso!!!
publicado por csi-cura às 09:28
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.pesquisar

 

.Abril 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. ...

. Está a acabar...

. O que prefere?

. Reportagem: "Auto da Barc...

. O nosso colégio

. CSI

. Entrevista a Gil Vicente

. Auto da Barca do Inferno

. Obra de Gil Vicente

. Vida de Gil Vicente

.arquivos

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.mais sobre mim

.Obras de Gil Vicente

Auto da Visitação

Auto Pastoril Castelhano

Auto dos Reis Magos

Auto de S. Martinho

Auto da Índia

Auto da Fé

Auto das Fadas

O Velho da Horta

Exortação da Guerra

Auto da Sibila Cassandra

Comédia do Viúvo
 
Quem tem farelos

Auto dos Quatro Tempos
 
Auto da Barca do Inferno

Auto da Barca do Purgatório

Auto da Alma

Auto da Barca da Glória

Auto do Deus Padre

Comédia de Rubena

Cortes de Júpiter

Auto da Fama

Pranto de Maria Parda

Farsa de Inês Pereira

Auto Pastoril Português
 
Auto dos Físicos

Frágua d'Amor

Farsa do Juiz da Beira

Farsa das Ciganas

Dom Duardos

Templo d'Apolo

Breve Sumário da História de Deus

Diálogo dos Judeus sobre a Ressurreição

Nau d'Amores

Comédia sobre a Divisa
da Cidade de Coimbra

Farsa dos Almocreves

Auto Pastoril da Serra da Estrela

Auto da Feira

Auto da Festa

Triunfo do Inverno

O Clérigo da Beira

Jubileu d'Amores

Auto da Lusitânia

Auto de Mofina Mendes

Romagem de Agravados

Amadis de Gaula

Auto da Cananeia

Floresta de Enganos

blogs SAPO

.subscrever feeds